CSEPE aprova título de Doutor Honoris Causa ao compositor, escritor Nei Lopes, na quinta-feira (05/08/2021), em sessão transmitida pelo YouTube da TV UERJ.

Nei Lopes em São Paulo – (Foto: Claudio Belli – 26 de janeiro de 2018 / Valor / Globo)

Nei Lopes é compositor, escritor, intelectual, conferencista e luta ativamente contra o racismo estrutural. Homem negro, do subúrbio carioca, o primeiro de sua família a chegar ao ensino superior, também é estudioso das culturas africanas no continente de origem e na diáspora africana. Conhecido sambista, principalmente pela parceria com Wilson Moreira. Ligado às escolas de samba Acadêmicos do Salgueiro (como compositor e membro da Velha-Guarda) e Vila Isabel (como dirigente), hoje mantém com elas ligações puramente afetivas.

A concessão desse título é de extrema importância, pois a UERJ é pioneira em políticas de ação afirmativa no Brasil com as cotas raciais. E essa honraria é concedida a personalidades eminentes que tenham contribuído para o progresso da Universidade, da região ou do país, ou ainda que se distinguiram pela sua atuação em favor das ciências, das letras, das artes ou da cultura em geral. A concessão do título de doutor Honoris Causa para Nei Lopes foi uma iniciativa do Magnífico Reitor, Professor Ricardo Lodi Ribeiro, e agora seguirá para o Conselho universitário da UERJ. 

Na fala da relatora, nossa pró-reitora de Extensão e Cultura, professora Cláudia Gonçalves, ela lembra que a contribuição intelectual, cultural e o posicionamento dos militantes em defesa da população negra representam e impulsionam os intensos fluxos interculturais e multidisciplinares resultantes de eventos como as lutas pelos direitos civis, os processos de descolonização nos países africanos e as lutas contra os regimes ditatoriais na América Latina. Onde se demarca um lugar de fala, uma reparação, um resgate, uma busca pela democracia racial. 

Conselho CSEPE 05/08/2021 – YouTube


Uerj

05 agosto